74 – Anseio pela eternidade

“Também pôs no coração do homem o anseio pela eternidade; mesmo assim este não consegue compreender inteiramente o que Deus fez” – Ec.3.11

“O Show de Truman” é um filme com Jim Carrey como um protagonista que ignora viver em uma ilha onde a paisagem é cênica, as pessoas são atores e sua vida é um reality show. Essa realidade lhe foi apresentada desde sua infância. Dia a dia, porém, o personagem vai ansiando por algo mais. Pouco a pouco, ele vai percebendo que a vida não pode ser somente aquilo.

Da mesma maneira, fomos encerrados em uma realidade contaminada pela morte. Fomos alienados do paraíso pelas espadas flamejantes e separados da Árvore da Vida e da presença de Deus.

Finalmente, mergulhamos na mentira: uma realidade cenográfica que sobrepôs nossa memória das coisas de Deus. Apesar disso, restou ainda, no mais fundo do coração, uma agulha de bússola que aponta para o Éden magnético.

Foi esse drama que o autor de Eclesiastes chamou de fardo aos homens: “pôs no coração do homem o anseio pela eternidade; mesmo assim este não consegue compreender inteiramente o que Deus fez” Ec.3.10-11.

O homem tem sede de plenitude da vida. No entanto, mesmo o homem mais sábio que já existiu “não consegue compreender inteiramente o que Deus fez” (v.11). Essa é a mais aguda angústia humana: a sensação de andar na escuridão, na ignorância e na solidão.

Mas Deus estava reservando algo mais para o seu povo. A sede de eternidade seria saciada por Jesus: “a água que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna” – Jo.4.13-14.

Jesus veio e plantou um óasis de vida neste deserto abaixo do sol: “Quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não será condenado, mas já passou da morte para a vida” – Jo.5.24.

Para não perder esse oásis, Pedro disse: “Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras de vida eterna” (Jo.6.68-69). E foi por ter experimentado esse oásis, que João escreveu: “E este é o testemunho: Deus nos deu a vida eterna, e essa vida está em seu Filho” – 1Jo.5.11-12.

No tempo apropriado, Deus enviou o seu filho para nos trazer de volta às águas do Éden, cuja alma, tão sedenta, deseja.

E o jardim floresce na medida em que crescemos no conhecimento do amor de Jesus Cristo: “Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste” – Jo.17.3.

Comente conosco o que achou desta postagem