013 – A alegria no sofrimento de Jesus na cruz

“Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito” Is.53.11


Jesus passou tormentos inimagináveis na cruz. Primeiro, ele foi humilhado. Ele foi cuspido, foi objeto de escárnio de gentios e de judeus, foi abandonado pelos seus discípulos, negado pelo mais próximo.

Em seguida, ele sofreu na carne. Levou chicotadas, murros, carregou o madeiro à exaustão, foi atravessado pelos pregos, foi pendurado no varal da humilhação e da dor.

Finalmente, certamente seu maior sofrimento, aquele fardo ao qual nenhum de nós seria capaz de suportar – Ele foi quebrado por Deus: “ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando der ele a sua alma como oferta pelo pecado” (Is.53.10).

Mas Ele aguentou.

Como Ele aguentou? “Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito” (Is.53.11). Ele viu o resultado do seu sofrimento. Qual o resultado? Este: “(Ele) justificará a muitos, porque as iniquidades deles levará sobre si” (Is.53.11), e “Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia” (Hb.12.2).

O que isso tudo quer dizer? Simples. Jesus suportou a cruz por você. Ele encontrou alegria em você. Não pela humanidade. Por você.

No ápice de seu sofrimento, enquanto Deus saciava toda a ira pelos nossos pecados na alma de nosso redentor, Jesus, com sua mente divina, trouxe à memória o nome de minha filha Ana. E, enquanto gritava “está consumado”, Ele lembrou de Ana recebendo as dádivas do perdão dos seus pecados e da paz com Deus; e com lágrimas e sorrisos, Ele pensou: “Ana, está valendo a pena.” Foi assim mesmo: “ele chama pelo nome as suas próprias ovelhas e as conduz para fora” (Jo.10.2).

Era um parto: dor intensa; regozijo intenso. E em meio aos gritos, Jesus chamava-nos pelo nome, tendo-nos amado muito antes.

A cruz foi sua humilhação, mas por causa dela foi exaltado. A cruz foi sua maior dor, mas trouxe sua maior alegria. Ali Ele foi castigado, mas ali Ele nos concedeu misericórdia!

Deste modo, Jesus nos encoraja a aguentar o sofrimento presente: “Desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus” (Hb.12.2).

Comente conosco o que achou desta postagem