027 – O temor do Senhor

Todos eles foram tomados de temor; e o nome do Senhor Jesus era engrandecido” – Atos 19.17



Onde Deus é temido, Jesus é glorificado e a igreja cresce. No livro de Atos, há pelo menos duas histórias que nos lembram disso.

Em Atos 5, Ananias e Safira, talvez desejando o mesmo prestígio de Barnabé (At.4.36-37), prometeram à igreja uma oferta com o valor da venda de uma propriedade. No entanto, Ananias “reteve parte do dinheiro para si, sabendo disso também sua mulher” (Atos 5.2).

O pecado do casal não foi desprezar o dízimo, mas sim a ganância e a mentira, conforme disse Pedro: “Ananias, como você permitiu que Satanás enchesse o seu coração, a ponto de você mentir ao Espírito Santo (…) O que o levou a pensar em fazer tal coisa? Você não mentiu aos homens, mas sim a Deus” (Atos 5.3,4).

O casal queria o reconhecimento dos homens, mas não tinha o temor de Deus, e sua aparente piedade foi prontamente desmascarada pelo Espírito Santo.

Em Atos 19, em Éfeso, por inveja de Paulo, os 7 filhos de Ceva tentaram expulsar demônios em nome de Jesus. Assim como Ananias e Safira, queriam o prestígio dos homens, mas não tinham o temor do Senhor.

A resposta a essas duas ofensas ao nome de Jesus e ao Espírito Santo foi trágica e escandalosa. Ananias e Safira foram imediatamente mortos, um a um, diante da igreja. Já os filhos de Ceva não morreram, mas apanharam bastante: “Então o endemoninhado saltou sobre eles e os dominou, espancando-os com tamanha violência que eles fugiram da casa nus e feridos” (Atos 19.16).

Qual o resultado da tragédia e do escândalo na igreja? Qual o resultado de se apresentar a severidade de Deus diante do pecado? Em Jerusalém, “grande temor apoderou-se de toda a igreja e de todos os que ouviram falar desses acontecimentos (…) Em número cada vez maior, homens e mulheres criam no Senhor e lhes eram acrescentados” (Atos 5. 11, 14). Em Éfeso: “Quando isso se tornou conhecido de todos os judeus e os gregos que viviam em Éfeso, todos eles foram tomados de temor; e o nome do Senhor Jesus era engrandecido. Muitos dos que creram vinham, e confessavam e declaravam abertamente suas más obras. (…) Dessa maneira a palavra do Senhor muito se difundia e se fortalecia” (Atos 19.17-20).

O temor do Senhor é o real entendimento a respeito da santidade de Deus, da fragilidade humana e do poder do pecado. Ele nos torna sedentos por santidade e exalta o nome de Jesus Cristo. O verdadeiro temor do Senhor faz a igreja crescer.

Por quê? Porque o temor do Senhor é diferente daquele medo que fez Adão se esconder da presença de Deus (Gn.3.10). Aquele que teme ao Senhor é protegido pelo amor de Deus e “no amor não há medo; pelo contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo” (1 João 4.18).

Aquele que verdadeiramente teme a Deus é semelhante à criança que se assusta com as trovoadas da tempestade e corre se refugiar debaixo do lençol dos pais. Aquele que teme ao Senhor ouve as trovoadas da ira vindoura de Deus sobre o pecador, e corre se refugiar à sombra da Cruz de Jesus Cristo, único refúgio seguro para os pecadores quando há confissão e arrependimento verdadeiro.

Por isso, onde Deus é temido, Jesus é glorificado e a igreja cresce.

Comente conosco o que achou desta postagem