031 – O ensino de uma igreja

“Você tem aí pessoas que se apegam aos ensinos de Balaão, que ensinou Balaque a armar ciladas contra os israelitas, induzindo-os a comer alimentos sacrificados a ídolos e a praticar imoralidade sexual” (Ap 2.14).

Leia Apocalipse 2.12-17


A igreja está peregrinando no deserto. Mas está chegando perto da Terra Prometida.

O deserto é um lugar para provações e tentações. Na fome, Deus sustenta com o maná milagroso. Mesmo assim, muitos ficam para trás pela infidelidade.

Umas das grandes provações da igreja de Pérgamo em seus dias era o trono e a habitação de Satanás. Pérgamo era sede do governo romano na Ásia. Lugar de idolatria e perseguição intensa. Ao que tudo indica, a igreja havia passado pelo desespero de ter um de seus membros martirizado: “Antipas, minha fiel testemunha, foi morto nessa cidade, onde Satanás habita” (Ap 2.13).

Diante dessa grande perseguição, Deus sabe das coisas: “Sei onde você vive, onde está o trono de Satanás” (Ap 2.13). Deus está atento e sabe onde estamos. Sabe que estamos imergidos em campo de iniquidade. Por isso, Jesus vem à igreja e a consola, dizendo reconhecer sua fidelidade: “Você permanece fiel ao meu nome e não renunciou à sua fé em mim” (Ap 2.13).

Este é o epitáfio ardentemente almejado pelos filhos de Deus, mas que nunca será escrito na lápide de uma igreja: “foi fiel”, pois não morre uma igreja fiel.

Pérgamo era fiel parcialmente, no entanto. Era fiel no testemunho, mas o ensino da igreja estava sendo menosprezado. Era fiel fora, mas infiel dentro.

Tal como nos últimos dias do deserto, Israel foi manipulada por mestres falsos, como Balaão e Balaque. Agora, um grupo destes, entre eles os nicolaítas, estava deturpando o ensino dos apóstolos e de Jesus Cristo.

Na peregrinação, a igreja deve cuidar do ensino. Suas obras de martírio não lhe dão saldo de justiça para gastar com falso ensino. E a matemática é simples: ou a igreja cuida do ensino, ou a igreja vai morrer.

O falso ensino não era novo. Era igual a todos eles. Ele relativiza a santidade. Ele afasta a igreja de Deus de maneira sedutora, sem chifres e rabos pontiagudos… ele seduz pelos prazeres, pela aparência… Semelhante a Balaque e a todos os outros, o falso ensino oferece o que nosso coração pecaminoso deseja: “induzindo-os a comer alimentos sacrificados a ídolos e a praticar imoralidade sexual” (Ap 2.14).

Qual a arma que a igreja no deserto dispõe contra Balaão? Jesus e sua “espada afiada de dois gumes” (Ap 2.12), as Escrituras, que dizem tudo a respeito dEle, e o ensino dos apóstolos, que testemunham dEle.

Querida igreja, a Palavra de Deus preservará a fidelidade e a santidade da igreja pela pregação e pelo ensino fiel da Palavra. Doa onde doer. A tempo e fora de tempo…

Mas a promessa é boa: “Ao vencedor darei do maná escondido” (Ap 2.17), a provisão milagrosa, a força do Senhor, a preservação do Espírito Santo.


Ore a Deus

  • Pelo pela fidelidade completa da igreja, pelo testemunho fora, e pelo ensino dentro;
  • Pela santidade da igreja, que constantemente é agredida pela relativização do ensino.

 

Comente conosco o que achou desta postagem