025 – O épico e a comédia dos heróis da humanidade

Eu mesmo estabeleci o meu rei em Sião, no meu santo monte” – Sl. 2.6



Na mitologia grega, os heróis eram homens que se rebelavam contra o domínio dos deuses. O salmo 2 também apresenta alguns heróis desse tipo. Nele, as nações, os povos, os reis da terra e os governantes se amotinam como um bando de marinheiros contra o capitão; tramam como num golpe de Estado; tomam posição como um exército pronto a atacar; conspiram unidos como traidores da corte. Os heróis humanos se revoltam contra Deus e o seu Rei.

Mas, diante de todo esse heroísmo dos homens, Deus ri: “Do seu trono nos céus o Senhor põe-se a rir” (Sl.2.4). O que para os homens é uma grande épico, para Deus é uma comédia. Ele declara que o Reino de Seu Ungido foi instituído por Ele mesmo, de modo que o esforço de todos os poderosos da terra contra um único decreto de Deus é tão ridículo quanto filhotes de cachorrinhos pulando para derrubar o dono. Por isso Deus ri, liricamente falando. O épico heroico se torna comédia diante da autoridade de Deus. Todo engajamento humano é como fumaça quando de encontro a um decreto de Deus. O Reino instituído por Deus é um Reino inabalável!

Jesus Cristo, o Ungido do Senhor, testemunhou essa rebeldia contra Ele vinda dos poderosos. Em sua caminhada na terra, fariseus e saduceus conspiraram juntos contra Cristo; autoridades judaicas e romanas se amotinaram contra Ele.

Quando Jesus pendia na cruz, os reis da terra creram ter feito em pedaços suas correntes. Pensaram estar livres do domínio de Deus quando pensaram ter levado seu ungido à morte. O que não sabiam era que Jesus Cristo está posto sobre um trono inabalável – que é o Reinado de Deus nos corações daqueles que nEle se refugiam.

Assim, o salmo nos dá uma importante advertência, se é que desejamos caminhar com prudência: o salmo aconselha a rendição.

Não se engane ao pensar que esse texto serve apenas para grandes imperadores de nosso tempo. Nós também temos nosso trono pessoal, nossa rebeldia particular, impedindo que Deus tenha completo domínio sobre nossa vida.

Nosso grande e único herói, no entanto, ao contrário dos demais heróis, obedeceu fiel e completamente ao Pai, e trouxe consigo o Seu povo eleito, que o adora, o teme e se coloca aos pés do Filho, como súditos fiéis, em quem buscam refúgio.
“Como são felizes todos os que nele se refugiam!“ – Sl. 2.12.

Comente conosco o que achou desta postagem